quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Este ano ...

Este ano está a terminar ainda me ofereceu uma gripe !! Além de muita chuva e muito frio!!
Ofereceu-me a oportunidade de crescer e ir aprender mais sobre o que sou e quem sou ... a aprendizagem de ser mulher e ser mãe e trabalhar fora.
Além de ser capaz de reconhecer que sou uma mulher e que posso estar junto e conviver com outras mulheres e o manto de invisibilidade que levantava sempre que estava em grupo.
Reconheço que sempre fiz uso deste manto milhares de vezes até que me cansei ou descobri que era possivel não usá-lo e a exposição não era tão tão ruim assim e que podia e posso participar .
A luz do reconhecimento com outras mulheres que afinal não é assim tão mau, aliás é bom e não é obrigatório sair a perder . antes pelo contrario posso ganhar ... mesmo aprender coisas boas e diferentes, poder escolher outros caminhos e seguir sem o medo de ter medo. Crescer interiormente, interessar-me por coisas e mudar o sentido, as escolhas ...

e que posso dar a minha opinião e não ter medo

este ano foi um ano de mudanças; mudanças em mim mudanças na forma de olhar o mundo de como me vejo e de como vejo os outros;

faço parte do universo e sendo pó, sou pó das estrelas !!
e sendo um pontinho no meio do cosmos vou crescendo e crescendo ...
estrela no meio da galáxia e de todas as galáxias ...
existe uma estrada que vem dar até mim!!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

lua cheia

Lua cheia já é poema, ilumina a noite 
e nós aqui de baixo olhando olhando ...
lua cheia redonda lá em cima no céu!!
sentindo pulsando expectantes coração na mão !!?

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Ventos ...

daqui ... os ventos que sopram são gelados, talvez vindos do Norte, cortantes,
que gelam os ossos e a alma.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

dias ... 2

As temperaturas caíram !! baixaram até aos 2/4 graus aqui em Lisboa !!
os Invernos estão gelados . quando não chove o gelo avança ...

o sol brilha, o vento sopra ...
lembra aquela história ...

deveria estar uma lareira a nossa espera em casa ...

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

caminho ... volta

tenho estado aqui a matutar ... matuto por assim dizer ... enfim no que matuto eu ?
espiritualidade sem muita força . o que motiva esta questão tão transcendente e que a base é o caminho sempre em direcção ao infinito . iluminada e luminiscente seja isso o que for sempre com o amor nas mãos a paciência na alma sempre em busca da plenitude ... a procura incessante de algo
esta procura sempre se bate pelo impenetrável e o mistico  e o que procuro ??? porque procuro ?
as respostas sempre ambiguas e sem resposta audiveis , mescladas de cinzentos
as respostas a que perguntas ? e serão a mesma coisa que perguntas ás respostas que quero ? acreditar fará parte de algum processo de crescimento . e acreditar em quê  ? e preciso mesmo de acreditar ?

neste caminho tenho encontrado mensagens ... e nem sempre de fácil leitura até que chega a um lugar onde se entende e os assuntos vão se sucedendo e na vasta aprendizagem que o espirito tem as voltas as espirais parece que nos leva a lugares iguais mas no entanto desconhecidos e nunca antes pisados ..

cheirando a mofo o bolor de tempos humidos os lugares fechados onde estes assuntos se encerram, a poeira e o pó que acumulam pois deixam de fazer sentido quando queremos renovar algum aspecto já passou voltar ao mesmo lugar deixa de fazer qualquer sentido .

a espiritualidade pode fazer parte de nós, do intimo, de querermos crescer mas á medida que vamos crescendo podemos deixar que os assuntos surjam e nos ilumine temporariamente e partirmos para novas descobertas ...
a iluminação pode fazer sentido quando a escuridão pesa e nos faz girar.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

dias ....

um pouco de alegria em dia cinzento e de frio nevoeiro!!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

escriturias ...

pois é, começo a pensar que talvez os muros que limitam devam ser não deitados abaixo pois, não quero levantar pó antigo nem acordar entidades desconhecidas (por enquanto) mas talvez abrir janelas ou portas ...
janelas e portas que se possam abrir e fechar ...
acordar de um grande sono e abrir uma janela abrir os braços e deixar entrar o ar fresco da manhã ... e o sol com seus raios de luz e descer as escadarias e abrir as portas e sair para o lindo e maravilhoso jardim ....

pois ... escriturias, escritorias ...

escritos e istórias sem H, quem me leva a mim a querer avançar num terreno tão lamacento, que histórias poderão querer nascer renascer ?
não saberei se não começar ...

leituras (1)

Estou a ler um livrito engraçado ... de geert kimpen da bertrand editora
passo a passo com a cabala, que comprei no circulo de leitores, por incrivel que pareça não me lembro nada de o ter pedido, enfim ... e é um livrinho engraçado que mostra um outro universo ...

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

leituras ...

tenho andado perdida e não sei se me encontrei ainda ...
não me tem vindo á mente. á ideia ou pensamentos benfazejos de alegre partilha compartilha ou escritoria seja isso o que for . francamente não me tem apetecido . não tenho nada para partilhar com a folha . a folha em branco não tem encontrado em mim a caneta ... o espaço não tem funcionado ... e o que vai da mão para a folha não tem havido qualquer palavra , nem mágoa nem amor . nem luar ou sol ardente ...
o frio e a chuva a chuva e o frio mantas quentes que são recusadas em detrimento de outras coisas menos convidativas ... suspiro ... suspiro ... ai ai ai .... que hei-de fazer para que as coisas se transformem .

a mudança ... seria bom uma mudança ... mudar de casa, de estilo de vida, de ter mais dinheiro para tudo o que precisamos ... principalmente umas roupinhas jeitosas. mas, temos que trabalhar e ao fim do mês a compensação é tão desmoralizadora, mas, é a que há!! o que fazer ??? não podemos não posso lutar contra o que não tem capacidade de luta !! ou algo assim .. mas podemos continuar assim ... a mudança deverá estar dentro de mim, e para aceitar que não pode ser diferente !! mas, porque não pode haver diferença ... a diferença deverá estar onde estou ... eu posso fazer a diferença mesmo que a diferença seja feita de mim para mim !! creio que onde as coisas ficam feias é a forma como olho para elas e não conseguir transformar essa diferença !!

talvez as coisas funcionem melhor se eu as olhar de outra forma !!
existe qualquer coisa dentro de mim e eu posso ser a mesma desde há séculos, décadas ou tempo infinito e posso ir introduzindo mudanças devagarinho, sem que note que mudo, talvez para que não fique tão ansiosa ou com dificuldades de aceitação . posso produzir mais dessa forma.
mesmo a fadiga ou o cansaço tem vindo a ser menor . tinha dias que já acordava cansada, exausta e não conseguia pensar sequer em fazer qualquer acção. produzir qualquer acção era um pesadelo ...

e não sei o que se alterou ... mas houve qualquer coisa que me deu mais força ..
mesmo a dor intensa diminuiu está cá mas parece suportável ...
faço mais coisas em casa e faço de uma forma mais alegre e com menos esforço.

pode ter a ver também a forma de eu olhar para dentro de mim e não esperar a perfeição . visto que sou a imperfeição ... mas não tão imperfeita que não possa procurar coisas boas dentro de mim e encontrá-las . e por incrivel que pareça não esperar demasiado ... é bom não esperar demasiado ...

Ter encontrado um bando de mulheres onde posso estar sem sentir (muito) deslocada ou não sentir que não pertenço ao grupo .. não raras vezes me sinto ou dou por mim neste tipo de relação entre as outras mulheres e eu a parte de não fazer parte . por vezes sinto-me integrada . e hoje creio haver entre o meu ser interior uma nova aprendizagem e sentir-nos em casa junto ou em conjunto com outras mulheres .

talvez o não esperar seja mesmo a questão que funciona. a peça fulcral do jogo e a que está certa !! o não esperar dá outra um certo bem estar, o amago, intimo, o coração está mais tranquilo face ao que me envolve e ao cercar-me de uma certa confiança as coisas dentro de mim alteram-se !!

(sorriso) estou vencendo uma luta contra a invisibilidade , não que não dê um certo jeito estar invisivel, mas, estando visivel pode estar certo!

que grande confusão de pensamentos ...

das minhas leituras ..
não tem realmente sido boas nem más, não têm acontecido ... estava lendo livros ... passando folhas e esquecendo tudo logo a seguir ... uma falta de paciência e não acontecer .

existem livros que querem ser lidos, outros não !! vão se amontoando nas prateleiras entre bugigangas e outros objectos cadernos folhas e outros papeis e ficam por aí ... na mesa de cabeceira de onde parece que não saem mais e quando sairem estarão conforme foram lá colocados imaculados por dentro e por fora o pó dos tempos que passaram ...

outros que gostaria de ler mas, não se podem comprar !! uns porque se escondem outros não há à venda em português e em portugal (esgotados ou coisa parecida) outros porque são demasiado caros !!

existem alguns livros, e desses não tenho comprado nenhum ultimamente. que se leem de uma vez só!! tenho saudades de encontrar um desses !! mas. poderia reler um ou dois ou três que tenho bastantes , mas não estou para isso, não me apetece e eles não querem ser relidos por mim neste momento ! quando acontecer haverá um momento destes entre mim e eles e a estante ...

existem arvores lindas e maravilhosas e eu gosto imenso de arvores ...
e então ? o que quero dizer ?

e gosto do mar . apetece-me sair um dia e ficar a olhar o mar no seu ir e vir .. o seu vir e ir

terça-feira, 30 de novembro de 2010

??? onde

Quando nos chega o pensamento e nem sequer podemos e temos uma resposta para a pergunta que fazemos e temos em todo o nosso ser no nosso intimo qual o sentido de estar aqui ! para quê estar aqui! o que fazemos aqui ! qual é o valor que a vida tem ou será que merecemos estar aqui .

quando o frio nos congela a alma, o vazio de não ter sequer uma razão .
quando a teia da aranha cresce e cresce tornando-se imensa e ficamos demasiado pequenas para tentar sair
ou sequer tentar fugir . ou levantar .

creio que o pior de tudo é sentir essa desesperança, essa agonia em que a alma fica
e de tão amarfanhada e apática .. o pranto a dor

a confiança, a esperança e a alegria precisam de algo um toque uma vibração para se manifestarem, e quando se sentir , será que a luz não se esvai pelas frinchas , saindo pelas frestas escoando-se pelos buracos das janelas e das portas ou pelos umbrais ...

existe alguma forma de conter esta agonia ...
na melancolica tristeza e a luz dos meus olhos se vai esvaindo e o sangue escorre e os dedos pingam do degelo ... como em estalactictes de gelo se tenham transformado ...

que maneira tão triste de ver a alma e desta forma assim tão desesperançada ...
das lágrimas que escorrem pelas faces e nenhuma tem qualquer finalidade ...
não há sequer uma só razão para existirem ,
não há sequer razão para a tristeza ou para vacilar ou para qualquer desespero
ou para a mágoa e nesta doce apatia não há respostas para o nada ou para o vazio !!

e a imagem que vem é pintalgada de cinzentos ...
o nada é nada e para este nada onde está o tudo que se vê??
quero sentir nesta minha alma torturada e sangrenta o nectar a ambrosia que me foi prometida
mas que não ainda senti (provei) o seu sabor. o prato foi quebrado e jaz aos meus pés
o manto foi rasgado e só tu não vês !!!

e é tão patética, tão desnecessária esta constante luta,
a guerreira a insubmissa a rebelde onde está?
foi a imaginação, foi a mente foi apenas um porquê

porquê porquê porque me vem a mente ao espirito que me habita estas imagens desoladoras ?
porque me sentir de rastos e sem estruturas, porque sinto que esta vida nada me traz ...
porque torna a minha vida nesta escura e vil viela, e porque de repente a brilhante avenida se torna um obscuro beco sem luz ??

que fazer quando a escuridão se abate assim como se o senhor das trevas tivesse ganho a batalha
porque sentir o sabor da luz apenas por momentos ?

porque estou aqui insatisfeita e magoada ? porque porque ...
e não encontrar sequer depois desta demanda uma resposta ...
porque nesta caminhada não encontrei vivalma ?
nem sequer um passaro uma flor ...

porque de repente é inverno em todo o reino ?
porque de repente desapareceram todos e tudo é desolação ...


creio que estas desoladoras imagens por vezes tomam proporções demasiado grandes e enchem qualquer vasilha copo ou o que se queira chamar ... transbordando alaga todo o ser e tudo em volta se torna tão sem sentido e nada a fazer é assim mesmo que a minha mente funciona . pode haver alguma poesia ou apenas tontices de uma alma agonizante e gostaria de conseguir tornar mais fácil conviver com a vida e o dia a dia com as expectativas e com o desejo de ser e de me sentir alguém ... alguém com algum sentido na vida , ou um sentido com alguém dentro ou transformar-me repente em alguém ... ser alguém, e mesmo com a certeza que já sou e serei sempre eu mesma e alguém a minha mente ou, a vida que existe dentro de mim, desconfia de si mesma e quebra-se e é tudo tão complicado, seria tudo tão mais fácil se tivessemos o nosso manual e era só abrir na página certa e ter a resposta a solução para todos os males que nos assolam ... olho e vejo-me quase patética, sem qualquer mérito . olho em redor e vejo tanta coisa que eu queria ter conseguido e creio que a inveja ou o ciúme me assombram posso estar a combater esses monstros mas será que existem dentro de mim ?
será que a minha mente apenas ecoa este bla bla bla

o que fazer ? e ainda não há resposta ou solução nem uma avassaladora ideia . nada mesmo nada
não tenho sequer a intuição afinada ou a funcionar o coração não fala comigo e eu não falo nada ...
e estamos nisto ...

Flor ...

enquanto é inverno vamos semeando flores no nosso caminho ...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

pensamentos ...

nas minhas deambulações da mente ... acontecem conclusões surpreendentes mesmo que a surpresa não seja assim tão tão grande . o nosso espirito por vezes está tão cheio de palha, palha velha palha nova palha aos montes e ocupando tanto espaço que não temos espaço para coisas novas e, precisamos mesmo de limpar esta palha e aqui eu imagino-me a pegar numa forquilha e andar a limpar este terreno mental e espiritual de todo uma montanha de palha e de lixo que vem atrás.

e parece que resulta limpar este terreno ....
há uma maior liberdade ou libertação e abertura ...
desempoeirar ou abrir as janelas e as portas e deixar entrar ar puro, frio e gelado ...

Os dias de Hoje

Continua a chuva, com frio incluído e tudo a que este Inverno nos está brindando !!
claro que outros Invernos já deram mas que já passaram e estão no esquecimento e este é actual e de hoje.
Hoje, está frio e hoje chove !!
Hoje, as mantas estavam muito convidativas e muito quentinhas e apetecia lá ficar toda enroscadinha mas, escravos das horas e de inicio da semana lá tive e tivemos nós de sair do quentinho e vir para a luta do dia a dia e só depois de vastas horas ao relento do escritório e da intempérie, nós cá estamos outra vez no trabalho !

Lá terá que ser, pois o que tem que ser tem muita força !!

Pois é o tempo tem destas coisas é fácil conversar sobre ele ... e tão imprevisto e nós passamos por ele corremos atrás e nunca o paramos . Não o conseguimos travar . Por mais rebeldes e submissos o tempo não tem qualquer constrangimento em fazer-se sentir dentro e fora de nós .

Acalma feridas, atenua memórias e passa inexoravelmente em nós ...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

que pensar ...

a vida coloca-nos continuamente perante situações ... boas, más enervantes engraçadas, normalmente investimos a nossa energia no que gostamos, no que não gostamos se é obrigatório fazemos desagradadas e isso rouba-nos a energia . podemos sempre recusar fazer .
perante a obrigatoriedade de fazer a coisa, por exemplo tarefas domésticas, o emprego que conseguimos arranjar e que não gostamos; podemos fazer as nossas tarefas o melhor que conseguimos fazer ou da forma mais competente e melhor possivel de outra forma é inutil qualquer esforço ...

á parte isso temos os nossos tempos livres, que muitas vezes revelam-se poucos e, pouco frequentes. temos que os dividir e ter um momento só nosso ao fim do dia ...

o que fazemos da nossa vida, todo o tempo é nosso construir qualquer coisa de bom e agradável viver cada momento como se fosse o unico. essas coisas custam um bocado . para atingirmos o nivel necessario em que cada momento é vivido assim, leva quase uma vida para atingir, porque nos demoramos em viver alucinadamente como se o amanhã nunca mais chegasse, porque o futuro é o mais desejado como se o passado estivesse na mesma onda, e não queremos transformar nada pois é o mais certo e a certeza e o passado, as memórias do que vivemos do que fomos e do que seremos ao virar da esquina se ...

pensar agora, agora estou aqui consciente que ...

estava a pensar iniciar a contar historias pequeninas e das que contava às filhas, pode haver qualquer coisa nelas, talvez o registar de momentos calmos e felizes e de partilha e de aconchego ...
pode resultar pelo menos é algo reconfortante, misturar as palavras acrescentar os desenhos, sacudir a mesmice de todos os dias .

trazer um pouco de luz á escuridão e acender as estrelas e olhar a Lua ...

carinhos ...

Estava aqui sentadinha a fazer nada e sem pensamentos ...
e veio á memória um sentimento engraçado de esperança e de algo que precisamos amiude . o carinho, a nossa vida é feita tão depressa sempre corre corre corre que deixamos passar esses sentimentos de plenitude de carinho e tranquilidade e ternura ...
por vezes faz falta , para quem decididamente não pensa nisso ás vezes acontece .
há momentos de inefável ternura e que faz tanto bem . coloca-nos um sorriso no rosto e felicidade, de um calor que parece que nos aquece por dentro e por fora ..um carinho, um abraço vale mais do que mil palavras , pois não são precisas palavras para descrever esse momento intenso ...

a minha filha de vez em quando presenteia-me com esses momentos de inefável calor e ternura ..

Não sei se ...

Hoje está frio muito frio ... por causa de um anti ciclone que vem da Islândia!! foi o que entendi da informação dada na rádio .. A Islândia está a mandar muita coisa para aqui . e para todo o lado . o vulcão no verão e agora, o frio ...  frio bom para estar em casa no quentinho das mantas ...

está frio enfim é Inverno e é suposto estar frio !!

o tema da conversa é sempre assim quebrar o gelo ou simplesmente para quebrar o silêncio, o tempo o clima é um assunto neutro e fantástico . e não sei o que mais dizer depois de estar completamente ( ) .

o clima alterou-se o buraco do ozono encarregou-se de alterar o tempo, mas, o inverno sempre esteve frio pode haver outros episódios mais espontaneos de alteração mas o essencial está aí .

Não sei ... acontece-me frequentemente estas palavras virem á mente ... mas não sei o quê!? tanta coisa, não que eu queira saber muito, creio que o que ouço e leio , vejo me ensine muito mas, normalmente ... gosto de andar com o espirito ocupado com tanta coisa que não tenho tempo para mim, é uma procura incessante de aprendizagens de leituras de um sem fim de planos e sugestões , e de repente paro e sinto-me tão sem nada, o vazio de estar a ocupar a mente e o espirito com tanta coisa que é cansativo ... olho e sinto que um pouco de vazio e de silêncio e olhar o horizonte e ... o espaço e o tempo e eu somos apenas um só!!

e não preciso de mais nada, um instante, e ...

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

a aranha

a aranha na sua teia tece
tece a sua teia
de fio a sua teia é feita
a aranha faz a sua teia e eu cá de baixo vejo
vejo a teia a ficar pronta
e enquanto a aranha tece a sua teia
o tempo passa devagarinho
e a aranha não nota o tempo a passar
pois a teia é o seu mundo
naquele instante a aranha tem o mundo na mão
o mundo está na sua teia

terça-feira, 23 de novembro de 2010

chuva ...

Hoje chove ... chove e não pouco, muito mesmo .
os dias de chuva são os ideais para ficar em casa sem fazer nada e de vez em quando ir à janela olhá-la. estar de pantufas e manta pelos ombros e de pijama ... muito confortável enquanto as ruas se enchem de água e os passantes fazem alterações de percurso para evitar as poças maiores ...
quando os carros ao passar criam aquela onda de ambos os lados e ...
é desconfortável andar à chuva quando os sapatos deixam entrar a água e os pés ficam encharcados de água fria e os sapatos deixam de fazer a sua função protectora ...

e ficamos completamente enregeladas e ensopadas
acontece ...

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

pensares (2)

quem sou eu ... hoje surge a questão... mas apenas por instantes ... e sei que não sou diferente apenas a sensação e a consciência do estar aqui me assola e dá um bater de asas.
a diferença no meu sentir é minha questão ...

será que a Lua nas suas fases me influencia os humores e sentimentos ...
será ... será

tanto se ...

sábado, 20 de novembro de 2010

Leituras

Tenho andado a pesquisar sobre como contar histórias, mas é complicado, porque algumas leituras não se afiguram fáceis nem de ler, nem de encontrar o que se pretende . eu gostaria que a simplicidade fosse ordem da escrita mas nem perto nem de longe se encontra essa facilidade, pois o maior trabalho é de quem está a iniciar o trabalho e conjugar algumas ideias e coordenar temas e olhar com o olhar critico e isto sou que estou a escrever nem li em lado nenhum pois a pesquisa é trabalho da paciência e estou a revelar-me impaciente pois queria ter as dicas ou sugestões logo logo e assim vejo-me diante de nada a não a minha folha em branco ...
mas, posso estar a dificultar o trabalho criativo pois não estou a acreditar nem em mim nem no que poderia sair do que penso logo não escrevo porque duvido . e duvidar não junta as palavras nem os personagens nem desenvolve absolutamente nada em algum lugar.
juntar os trapos e partir, partir em busca de novos lugares e de uma habitação ou princesas e principes e torres e reis que partem à conquista de novos reinos creio que não existe absolutamente nada depois da curva do caminho ... só um grande deserto ... nem um dragão para matar ... pois os dragões imaginários já não existe nenhum ... nem o pó do caminho tem pegada alguma para mostrar que alguém passou mesmo por ali ...

por aqui não passa ninguém . o mato continua a crescer e invade tudo ... a erva daninha cresce cresce e as marés continuam a fluir .

pronto pronto poderia, poderia haver mas por enquanto tudo está adormecido ...
é inverno tempo de reflexão e de crescimento interior

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

a dor ... (2)

Sinto que se alguma coisa está permanentemente comigo essa coisa é a dor ...
por vezes é agoniante e são como facas afiadas mais ou menos enterradas enfiadas ou ...
lancinantes por vezes, mas por vezes estão atenuadas e fraquinhas outras, é o que esta semana e hoje acontece, sopro suspiro tento relaxar e descontrair mas mas não resulta absolutamente nada pois continuo tensa e hoje até, até sim me doi a cabeça, coisa que desde algum tempo me acontece raramente, a causa ?

apetece-me o quê , o que desejo ou não desejo nada ?  o que me faz falta ou não ?
o que espero ou o que não espero ?
ou o quê ? será que não é nada e o meu corpo está a tentar dizer-me alguma coisa ? a mensagem está tão codificada que não consigo lê-la ? preciso de ver o mar ou de ir passear ou dançar ou voar ou qualquer coisa mas o quê ????

creio que a maior parte do tempo não noto nada pois o tempo que passo no trabalho estou enfronhada no que estou a fazer e esqueço o resto do mundo ... quando por vezes noto é porque a dor por vezes grita mais alto ...

uma parte deve-se aqueles dias do mês ... ás vezes acontece antes outras depois outras antes depois e durante ... a menstruação ... a tpm ou o quer que seja enfim doi ...

esta dor hoje doi demais ... bem que gostaria de ter algum atenuante ...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

istórias .. sem agá

istórias, será possível que a minha imaginação não consiga magicar imaginar istoriar contares e coisas semelhantes .
inventei um portal, mas está vazio, ninguém lá está ninguém por lá passa a não ser a poeira do caminho e, os ventos deslocam  a areia de um lado para o outro e o lugar mal se vê, nota-se apenas que é um lugar deserto, as dunas invadiram-no e cobrem-no e sinceramente ninguém sabe á quanto tempo aquele lugar foi invadido pela solidão . ninguém se lembra nem sabe foi apenas esquecido, os mapas não o referem ...
nem uma pegada, o vento voa por entre as frestas e pelos umbrais .
redemoinhos e pó ...
os únicos passantes deste lugar ...

ao imaginar um lugar precisamos de quem o habite mas, não há ninguém ...
os caminhantes deslocam-se por outros caminhos ...

(( encontrei algo interessante ... http://culturafnac.com/novostalentos/literatura/2010/index.php ))
bem gostaria de inventar qualquer coisa para apresentar mas, se calhar é preciso acreditar !!!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

a vida ...

a vida ... a vi da vida ... vamos vivendo a nossa vida ... levando a nossa vida de um lado para o outro, de vez em quando murcha de vez em quando viçosa os nossos quereres e os nossos não quereres os nossos amores e desamores ... as nossas opiniões, as nossas obsessões, indecisões e decisões ... vamos caminhando como se tivessemos todo o mundo na mão, de vez em quando vamos ao chão, tombamos e sangramos ... a vida a vida vamos arcando com consequencias e inconsequencias armados e desarmados, convalescentes e imprudentes
vamos condescendendo, como se fossemos deuses e de peito aberto recebendo recebendo . dar é dificil e quando damos damos a pensar que vamos receber ou então não damos , damos a pensar nas bençãos divinas no futuro ... no que vão dizer e passar dizendo que somos quase transcendentes e beneméritos damos a nossa vida ao dia a dia trabalhando, a não fazer nada a ensinar a aprender a vaguear a navegar e arrastar-nos no chão da vida

o sol simplesmente nasce e dá calor luz ... a sua dádiva não tem preconceitos julgamentos ...

a nossa vida é tão condicionada ao outro ..
é tão virada para o bem ou para o mal, para a justiça ou para a injustiça
para a crueldade para o dinheiro ... para o controle para a manipulação

a nossa vida ... será que nascemos para aquilo que estamos a viver agora neste momento ??
porque fizemos estas ou aquelas opções se tivessemos escolhido outras coisas estaríamos noutro lugar ou estariamos exactamente no mesmo lugar mas teriamos de certeza outras experiências outros contares

a vida ... a sua simplicidade ou complicação depende de nossas escolhas de nosso olhar do que sentimos em relação a nossa vivencia ... a paixão com que fazemos as coisas ou a sua falta ...

tornamos a nossa vida e podemos transformá-la para o melhor e para o pior é só uma questão de coração

.. dias deste inverno ...

os dias agora são frios e gelados e apetece ficar dentro das mantas e não sair para fora de casa!! o tempo de inverno deveríamos hibernar ou mesmo ficar a descansar e depois de o inverno passar então renascer na primavera ...

mas, os tempos não são assim tão fáceis e temos que comer seja qual seja a estação, pagar as contas ...

à parte isso as actividades que podemos fazer enquanto é inverno ...
tecer ... bordar ... costurar ... desenhar ... pintar ... jogar cartas ... ver o futuro, lembrar o passado, viver o presente ... brincar com as filhas ... namorar ... passear à beira mar (aqui é perigoso)

durante a noite choveu ...
agora tem um lindo sol !! pelo menos afigura-se assim visto do quadrado da janela ...

este inverno veio vindo de mansinho ...

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

pensares ....

Tenho andado um pouco mais leve . a minha organização está a avançar . só arrumei um pouco a confusão e estou lutando sem esforço mas acrescentei um pouco de melhorias no espaço de trabalho . arrumei a confusão da minha cabeça . e foi fazer 2 furinhos no papel e colocá-los no dossier . claro que se tem que tem um método de trabalho . tenho que me garantir que aquele papel está onde deve estar quando o procurar ... papeis nunca estão no sitio onde devem e repito escondem-se ...

olhar lá para fora para a noite . chegar á janela ficar um bocadinho em frente dela e o reflexo no vidro não deixa ver lá para fora . a lua e a sua estrela estão a brilhar maravilhosas no escuro do céu ... a janela aberta deixa entrar por instantes o frio que me faz estremecer e arrepiar ... (a lua não está redonda não está minguante não estrá crescente; será nova cheia não é parece que está cortada num lado) será que é crescente ? estou em dúvida será que já não sei olhar para a lua ? estranhamente pode ser que só consiga ver o que vejo ... e o que vejo é assim !!

toques ..

Sinto que sou um pouco ... por assim dizer pueril, por vezes ajo como se fosse ainda uma menina , e na minha escrita aparece um pouco desse misto de infantil juvenil pueril qualquer coisa ... não que me faça diferença mas acontece, reli o que escrevi e encontro um pouco disso que me faz sorrir ...
Também acontece que o vento levante se encontra por todo o lado e pode enganar mas estou a conseguir gostar deste levante que, quando passa tem o seu efeito .

barcos no rio, olho ao passar ... veleiros e a ponte é um lugar mágico e as velas brancas pontinhos singulares que brilham na água ... e  a minha alma voa e sente-se ligeira quando lhes toca a sua alvura e as gotinhas de água . e sal . vento no cabelo ... tocam e as caricias são sinceras ...

Um som continuo e vibrante ecoa ... a água estremece e ondula ... até a luz enfraquece e o escuro entontece ...

hoje a noite parecia mais escura pois os candeeiros não se acenderam ... as ruas pareciam algo mágicas apenas com a luz a lua lá no alto do céu e a estrela que a acompanha ... parece que a luz de quando em vez fica assim e os lugares ficam diferentes ... a estrada escura as arvores as pedras da calçada ficam como antigamente ... quase um lugar transcendente ..

realmente de quando onde nos lembramos de ocasiões assim em que a cidade vislumbra um toque mágico com o mar aos pés e a lua ao alcance das mãos ...  e a poesia acontece !!

... um bom dia ...

um bom dia ... dia frio gelado . com sol ainda a chegar ...

domingo, 14 de novembro de 2010

istórias .. sem agá

escrever é algo maravilhoso ...
mas preciso de enriquecer o texto as palavras que o constroem . penso nessa necessidade .
existe um qualquer bichinho simpático que começa a bixanar baixinho na orelha . este bixinho, pode ser bichinho com xis e bichanar também com xis pois é simpaticamente malvado pois de tanto bixanar é ouvido e fica interiorizado cá dentro e sempre que vejo a folha de papel desisto .
a folha de papel é problemática, desistente , cadernos e folhas em branco olham para mim olham olham e eu suspiro, só faço rabiscos e mais rabiscos e até estes rabiscos são problemáticos para o bixinho escondido.
creio que tenho que ir caçá-lo ... talvez de arco e flecha !!
pode não ser moderno mas fica bem !!
ou espada!! claro que não tenho ideia como segurar a espada e seja desajeitada ou posso só espadeirar . lembro-me se calhar não fica bem e nâo é urbano segurar por aí uma espada á procura de um coca bixinhos,  pois ele desaparece, e há alturas em que não o ouço e as coisas funcionam bem .

sei que está mal, ouvi-lo tenho que ter uma relação mais intima com a minha criatividade, uma boa relação com o que sai do lápis, os tais rabiscos e as letras e simbolos hieroglifos e outras formas redondas altas e baixas as caisinhas e buracos buraquinhos que formam e constroem os meus escritos. ou mesmo em relação ás tintas que precisam de entrar na construção, ou mesmo a cor a cor que quer lambuzar o desenho e não consegue pois nem sequer chega perto ...

penso que a bruxa que voa na vassoura só aparece de vez em quando, quando chega o tempo certo e é engraçado vê-la voar no céu do entardecer.

a lua e o sol  também se encontram no céu ao mesmo tempo e o dia fica incrivel quando acontece ...
contar histórias pode ser parte desse encantamento.

istórias sem agá, que divertido . pode ser uma forma de criar uma maneira de iniciar .
se calhar se calhar bom e estou a repetir o se calhar ... se calhar nada .. não calha nada por agora é uma repetição absurda ? talvez sim talvez não o momento pode ter-se perdido e a necessidade de acrescentar novas palavras novas nuances novas materiais de construção de frases novos cimentos e novos tijolos argamassas e tirar a areia mas não se pode construir sem os materiais todos, ai a construção vai cair de certeza e isso lembra-me algo ...

ao entardecer ao anoitecer ou mesmo ao amanhecer

imaginamos as nossas histórias com agá o h está presente e se roubarmos o h as histórias ficarão sem rumo ? gritarão: - onde onde está o meu agá preciso imensamente dele, esteve sempre aqui presente.
mas o H fez as malas e foi-se embora serumbático a pensar malevolamente - se não precisam de mim vou passar férias no havai ou noutro lugar qualquer onde me sinta bem!!
ih ih ih nunca mais volto
será que o H tem razão e não é preciso para nada!! eu estou acostumada ao agá . mas pode-se sempre escrever estórias sem ele... mas não é a mesma coisa; mas existem os contos, as crónicas, fasciculos artigos e outros que não me lembro agora que não levam agá mas que poderiam ... mas tontices passam pela mente ou pelos pensamentos e que o lápis escreve assim tão célere ...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

silencio (1)

sexta feira . um silêncio abate-se dentro e fora de mim . o silêncio nada tem demais mas apesar de haver um barulho este silêncio grita demais pois está em mim e está a deixar-me inquieta, pois deve estar a acontecer qualquer coisa ou não e eu posso estar a interpretar ou a sentir de forma errada esta sensação ..

estava precisando se calhar de falar com alguém mas quem ? ou gritar ou chorar ou desesperar-me não sei para onde devo ir ...

não gosto de me sentir assim , o medo de estar ... o medo atravessa-se na calada da noite, a sua capa tem rumores estranhos e assim todos os habitantes do lugar fecharam as portas e janelas ... as trancas .

o medo não vendo ninguém encolheu os ombros e foi bater a uma porta , não teve resposta . bateu uma duas três vezes como não obteve resposta ...

foi embora .

o silêncio chegou á praça .

o circo

circo . quem gosta de circo ?
eu não gosto de circo !!
faz-me sentir esquisita por dentro!!

detesto palhaços pois não lhes acho piada nenhuma (sem fobias)
gosto de ver na televisão alguns malabaristas, trapézio e ilusionistas

detesto, odeio mesmo é os animais fazerem piruetas acrobacias e outras malabarismos
animais devem ser animais estar onde devem estar no seu meio natural, não dentro de jaulas e fazerem coisas estranhas ao seu modo de ser ...

o mesmo se passa com o zoológico, claro que preserva algumas espécies mas de uma forma nada natural ... onde está o meio ambiente a que estão acostumados ? será que não sofrem por estarem encafuados dentro de um circulo fechado por todos os lados, de terra batida, enjaulados sem forma de andarem ...

caminhos...(13)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

mulher ...

as mulheres, ultimamente tenho dado mais atenção ao facto de ser mulher, creio mesmo que tenho alma de mulher "e se tenho vivido várias vidas o que é possível, tenho sido mulher " esse facto é um facto assente e indiscutivel e é bom ser mulher . não é fácil ser mulher neste tempo ou em qualquer tempo ou em qualquer lugar
num mundo em que os homens são reis e senhores .

dias mais tarde ...

mulheres, o meu universo apesar de ter mulheres nunca foi em volta delas um ser e não ser.
creio que a questão de ser mulher nunca foi posta em causa apesar desta sociedade estar virada para os homens, para os seus quereres e o senhor absoluto ser o homem, e sempre apoiado pela mulher. apesar de ser uma visão limitada e antiga que foi adquirida ao longo de séculos e séculos em que perdeu o seu estatuto .
não é simples ...

não cresci junto com muitas ou outras mulheres(meninas raparigas moças) as mulheres mais proximas mãe, avós, as "amigas"  são apenas conhecidas e pronto acabou, claro que o universo familiar e escola e trabalho ligam-nos não ligando às outras pessoas . nós crescemos ouvindo falar que as mulheres têm que submissas e fazer as vontades e estar preparada para tudo o homem tem direito e de tanto ouvir isto . cola-se á pele e á alma . cortar esta fita esta cola nem sempre dá resultados .

o tema mulheres é dificil . de dificil explanação e de comentar e de dificil entendimento .
mulheres, mulher entre as mulheres apenas as mais velhas que eram as únicas que me aceitavam bem. e quando somos novas e jovens e crianças não estamos ligando para quem são .

talvez o meu desligamento de conversas e temas de mulheres tenha criado um hiato uma ponte em que ambos os lados é de dificil acesso. posso não ter estado acessivel ou empenhada ou com a mente aberta para aceitar estes assuntos .

a entrada dos outros pode ainda estar franqueada ..
o mato cresceu e ainda precisa de jardinagem .

outro dia ...

o passar do tempo não foi melhor, a integração num grupo a sensação de estar a mais, a sensação de estar perdida ou esquecida e também ignorada dá-nos quase a certeza que é assim mesmo, podemos ir passando ao longo da periferia mas nunca ir ao centro, nunca experimentar a luz clara e cheia apenas sentir fragmentos dos raios e isto ao longo de centenas de luas sem fim, as mulheres são seres imensos que não conhecemos .

creio que andar pelo mundo sozinha é mesmo assim ... no meio de uma multidão e mesmo assim estarei sempre assim sozinha, dar um basta ñão chega, pretender acabar com isso, determinada ou de outra forma qualquer não é suficiente tem que haver mais alguma coisa .. a aceitação que é assim´, podemos aceitar que a nossa vida é assim mesmo e mesmo assim não chega para acabar com isso mesmo a nossa determinação em modificar a forma e a maneira de estar com os outros não chega!!
não basta!!

ser mulher neste mundo não é fácil !! mas é necessário estarmos bem connosco mesmas, alterar a forma como olhamos o nosso pequeno mundo, olhar para o que somos o que temos para dar a nós mesmas e aos outros mesmos os que estão mais próximos. alterar aquilo que temos em nós. pensar ou não pensar dar ou receber viver a nossa vida de bem com o nosso interior a nossa mente acreditar em nossas capacidades somos ser unicos e maravilhosos só temos que acreditar e confiar em nós ...

não sei nada deste mundo, posso aprender. posso readaptar-me ao meio que me envolve readquirir confiança em mim ... mas qual a melhor maneira forma para o fazer onde aprendo a fazer estas coisas ?

manuais deveríamos vir com todos os manuais necessários para fazer face a todas as dificuldades que enfrentamos , mas á falta deles podemos ler e olhar e sentir ouvir as experiências dos outros, mas em que me beneficia a experiência de um outro qualquer ? claro que podemos estar abertos e ter referencias, pontos e tópicos, pois o que é bom para um pode ser péssimo e frustrante para o outro .
livros de auto ajuda e outros best sellers são arrepiantes e de dificil entendimento, creio mesmo que são impensaveis e são fruto da experiencia será que o autor teve realmente essa experiência ou é fruto de imaginação e de querer vender ?
já tentei ler alguma coisa mas desisti ...

então temos o nosso senso comum, a nossa intuição. a nossa forma de viver a nossa vida, é a nossa vida e não devemos nunca entregá-la aos outros ...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

luzes ()

apetece-me escrever ...
não sei sobre o quê. as histórias não vêm ter comigo por enquanto ...
estou a lembrar-me que não anotei em qualquer caderno folha as histórias que fui ouvindo ao longo dos anos e dos tempos em que a minha familia era outra e não esta.

o marido é um contador de histórias .. segundo ele ...
mas se a minha memória não as guardou porque vem agora esta pressa ou não será pressa ? o que será ? se não vou escrever as histórias da familia para quê lembrar-me destas coisas ? será que pensando muito, profundamente eu encontre algum registo ...
apetece-me escrever assim livremente sem que as palavras tenham beira e eira e o contrario.a semelhança dos dias vazios e cheios risos e lágrimas tedio e desespero mas sempre cheios de algo . amor e desamor

a vida sempre teve limites . as amizades . amigas aqui tenho um busilis ainda não preenchido nem resolvido. tema menos bom e angustiante e sem sentido . e enquanto não resolver esta sensação esmagante ou esmagadora na e da alma vai sendo um pico na pata do leão ...

gosto de livros policiais ...
faz tempo que não leio um livro de uma ponta a outra num instante ... agora estou lendo devagarinho uma leitura quase dolorosa . tirada a ferros e sem aquela sensação de bem estar quando se devora o melhor livro que se leu desde sempre. é deste livros que encontramos em qualquer livraria que vamos e levamos lá dentro horas a explorar .. agora não existem destes momentos. estamos sempre sem tempo para as coisas que nos fazem sentir que estamos no lugar certo á hora certa ..
tem aqueles livros que gostaria que assim fossem, mas estou desde algum tempo a coleccionar livros destes, estes que gostaria que aos lê-los nos dessem qualquer coisa, mas não é bem assim.

lista de compras, estas não são feitas ... nem as compras são feitas com listas, vou fazendo as compras quando tenho falta de alguma coisa seja mercearia fruta legumes carne ou peixe não mensal porque se gasta um montão de dinheiro logo de uma vez e não resulta, visto que falta sempre alguma coisa .

os meus desenhos por exemplo ... alteraram as formas e os sentidos. as cores e o movimento, deixo o lápis deambular pelas folhas pode ser que seja uma perda de tempo e de energia e neste momento não estou gostando do resultado ... deveria tentar alterar . acrescentar a tinta os pinceis e não deixar para depois esta parte importante da vida.

o som das palavras
gostaria de escrever e escrevo mesmo que não acrescente nada ao mundo apenas pelo simples prazer de escrever como todos os que escrevem . alguns tem mensagens para dar ao mundo (do ponto de vista deles e sabem escrever e a sua escrita é maravilhosa e cativante e absorvente)

o som das palavras que escrevo se tiver melodia na ponta. pode fazer a minha alma dançar

Contadora de histórias ...

quando as miudas eram mais pequenas !! sim que elas agora são grandes nos seus 12 e 9 anos, que gostam de histórias tinham algumas histórias que eram inventadas na hora e nas horas de ir dormir, agora lêem livros, mas histórias de fadas não as lia pois não eram recebidas !! nem agora!!

histórias aprender a contar histórias pode ser um acontecimento fantástico e poderia acontecer agora mas creio que temos outras actividades para acontecer .

outras aprendizagens outros saltos outras coisas

ainda tentei escrever algumas e fazer os desenhos mas ficou na caixinha (tenho que a encontrar)
mas apenas para encontrar um novo lugar para ela (a caixa) e saber que as histórias estão no seu sitio !!

sim é isso mesmo!!
um novo lugar

--- chizes ---

boa noite !!

hoje o dia esteve mais ou menos bom ou mais ou menos menos bom!!
chuva vento sol céu cinzento escuro céu azul
mais ou menos do que me lembro .
ah sim sei que o meu local de trabalho agora tenho uma janela para a rua que recebe luz e som do exterior, antes a minha sala sala era ... não interessa para agora .

a noção do espaço e do exterior perde-se quando estamos emaranhados no que temos que fazer . seja que tarefa for. ora eu estive emaranhada . em papeis no computador a enviar ficheiros pela internet e a tentar decifrar coisas absolutamente irreais . impostos e coisas para pagar enfim enredada em burocracia e papeis e formularios que me espantam todos os meses.
mas lá tenho conseguido enfrentar esta coisa.

mas, existem coisas simples nesta aparente complicação pois apenas nas excepções aparece o bloqueio.
e o que não conheço invento dentro daquilo que me apresentam .

a enviar emails a receber telefonemas e a responder coisas e a procurar determinado papel que por incrivel que pareça se esconde sempre e sempre eu pareço aquela barata tonta à procura e nem sempre posso desistir quando o chefe pede o tal papel que desapareceu nos montes que tenho acumulado.

já tentei arquivá-los no dossier chiz e ypsilon mas ainda tenho o dabliu e o zê e o eme . caixas e arquivadores e nada resulta com os malvados . parece mato ruim ...

enfim no meio desta selva estou eu .
e de repente tenho consciência que estou e que a noite escura já é uma realidade .
a verdade é que passo doze horas neste departamento e só tiro alguns intervalos, o intervalo para o lanche da manhã (filha) o intervalo do almoço (o meu, do F e o da outra filha) e o lanche da tarde (a mesma filha do intervalo da manhâ) se faço um intervalo para as compras para a casa (de vez em quando na semana).

hoje não foi diferente ... á parte isso tem o feicebuque ...
mas não é para falar disso que escrevi esta conversa post ou mensagem texto
existem resultados talvez não sejam muito práticos, pode ser que eu tenha que praticar mais práticas e deixar de pensamentos estranhos e que são apenas pensamentos ... ideias e afins

afins ... finais e etecetera ...
no entretanto (esqueci o que veio à mente)

fazendo doces

tendo comprado alguns marmelos ... fruta da época .
bom descasquei uns três ou quatro, coloquei num tachinho, um pau de canela que meti ao lume, lume brando e no bico mais pequeno, pois o meu fogão é daqueles que o lume baixo é exactamente igual ao lume alto .

esteve a ferver, cozeu a fruta e pronto . fruta cozida com um bocadinho de açucar amarelo.
pensei eu . o marido quis um doce (marmelada ?) acrescentei mais açucar coloquei também uma casquinha de limão, não sei bem se leva se não leva mas esta teve direito a isso e mais lume acrescentei mais uma frutita e lá esteve a cozer.
quando estava cozida fiz um disparate, pois não estava com paciência para esperar e passei a varinha mágica logo puré e levei mais um pouco ao lume (brando) queimou por baixo, mas retirei do lume e mexi muito bem até o queimado estar todo envolvido no doce, mas esta espécie de doce não é marmelada, digo eu . mas come-se !! e está bom.

nota: não sabe a queimado, por incrivel que pareça),

:O)

bom ... dia de chuva e vento ... recolhimento ...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

semelhanças ...

estava aqui a olhar e a ler a escutar o som que as letras têm !
e vem-me á memória espaços e tempos situações semelhantes e similares as sensações, que causam o sério atrito nas emoções, aquilo que tem importância a qualidade e a simplicidade . quando surge alguém na minha vida e a admiração tem lugar mas definitivamente quando, penso que já estou acostumada, pois é sempre a história do mesmo desfecho vem o futuro e é sempre igual !

deveria haver um livro onde anotasse as desilusões e as emoções

tem que ter qualquer coisa a mensagem para ser tantas vezes posta na garrafa !
ou quem sabe a descodificação esteja pronta para ser feita

ou a mensagem chegou a uma praia deserta ...

e pensar que ...

hoje e como sempre a alma solitária continua solitária.
o vento traz no seu sopro lembranças e memórias o céu cinzento escuro toca por vezes com a sua luminosidade a sensação mágica uma outra dimensão o passado ficou lá atrás ...

construir uma nova habitação
que nada sei de construção, nada sei de edificios paredes janelas apenas

impressões .
o vento traz à memória lembranças daquilo que quero ser e leva aquilo que deixei para trás
eu sou aquilo que sou com o passado que passei . com o presente onde estou e permaneço.
daquilo que serei as memórias e o tempo ainda não escreveu ainda não está gravado em qualquer livro, tábua pedra ou areia ... que o tempo escreve a noção das palavras não atinge
sou fraca sou forte divertida seria introvertida extrovertida sou e não sou tanta coisa.
existem coisas que vou descobrindo a medida que vou vivendo páginas em branco para a frente não posso fazer batota e ler o fim do livro .

ler tranquilamente cada linha cada espaço, viver cada instante

e pensar que ... a vida não me trouxe algumas coisas ...
a inconstancia e a constante certeza é de dificil entendimento quem sabe porquê ...
pode ser que seja apenas uma impressão ou uma leitura mal entendida ou a linguagem seja em caracteres antigos e não estou preparada para os ler ... códigos e simbolos arcaicos

talvez a amizade seja feita assim ...
e eu esteja a enegrecer e a entristecer o tema ...

quem sabe se eu aceitar que é assim mesmo que a vida é assim mesmo que a amizade é uma espada de dois gumes e se espero alguma coisa tenho dar algo em troca porque a amizade é uma troca ...

quem sabe a transformação esteja a ser feita continuamente entre exterior e interior e vice versa e por aí ...
talvez não sinta essa laranja limão ao pensar e é preciso acreditar ...

que o vento traga outros ares ... outros aromas cheiros fragâncias perfumes

o deserto ..

o deserto ...
tem uma mágica, tonalidades, areia e mais areia
dunas tempestades de areia, camelos e beduinos
oasis o sol inclemente ... o nilo

o deserto harens e sultões
as mil e uma noites jardins proibidos
concunbinas e dançarinas

miragens e .... civilizações antigas
lugares e cidades debaixo da areia ..

pensamentos e sensações

ou o deserto gelado ... que existem também ...
esse tem ainda cristais ... cristalizados no tempo dinossauros e outros .
fosseis e outras descobertas por descobrir

imagens para compor e transcender

caminhos ... (12)

sábado, 6 de novembro de 2010

indecisa ...

acontece-me frequentemente .
parar e ficar à espera de decidir como se acontecesse assim num apice ...
naquilo que tenho a certeza faço ...

não discuto nem tomo decisões acontece naturalmente ...
quando me pressionam aí complica ...
e mesmo que seja eu a pressionar .
bloqueio.

indecisão pode parecer inadequada , mas tem todo o sentido .
certeza é problemática .

enfim ...
hoje tenho certezas algumas dúvidas mas também sei que deve haver ambas em nossas vidas, se só houvesse certezas como ficaríamos ou só dúvidas ??
se temos dúvidas é porque sentimos que as coisas não tem qualquer interesse e então decidir em favor ou contra não é importante porque concretamente já decidimos mesmo que a resposta não esteja visivel

dúvida ...
antes isso que uma divida ...

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

ideias (2)

Faz alguns anos que me defino como Maria Ramos, mas algum tempo atrás (2 ou 3 ou mesmo 4 ou 5 dias, vá lá uma semana, bom não me lembro talvez tenha sido entre o final do mês anterior e este mês, algo assim,
surgiu-me que Maria Ramos é um pouco (aqui cabe a palavra que quero escrever e que se escapou rapidamente, porque não a agarrei? porque não a segurei?) digamos impessoal é essa a palavra?
e surgiu-me mariazé que soa bem (não mizé ou mijé arghhh)  ou semelhantes adornos mas depois escrevi marizei com acentuação no i e gostei !!
e ficou assim ...

mas mariazei também fica óptimo !!!

e chega de falar de mim!
mas pensando bem será que isso é falar de mim será que não tenho falado continuamente de mim ?
mas são apenas palavras e mais palavras que não mostram e que não dizem quem sou . apenas uma pequena parte de mim é transmitida . ideias à solta que provocadoramente eu escrevo e que as páginas recebem com algum agrado.

Sou grata por conseguir dizer algo a essas páginas como sonhadoramente quero e elas ficam bem . são minhas e gratas por sairem estão e ficam aqui !! quem sabe de vez em quando saem por instantes mas voltam para aqui e se eu as quiser reler pensar e assim sucessivamente me darem mais instantes .

as palavras breves ... são o que são !! Assim sou ...

pensativamente ...

como começar o inicio de um texto de uma qualquer narrativa, e não sabendo porque estou a escrever nem o quê nem para quê . algo desmoralizada mas como sempre isso é constante e parece que não estou conseguindo elevar o moral como se um guerreiro quando na guerra perde uma batalha o desalento o limpar das espingardas ou das espadas

espadas afiadas sangue derramado amazonas valquirias faz tempos iniciei a leitura de um livro e que não motivou a acabar

bem gostaria de ser uma guerreira armada para batalhas contra a injustiça e a crueldade dos homens mas enfim é só um querer uma vontade de guerrear mesmo contra a fealdade dos corações que tempera e invade a vida dos outros em combate serrado contra a insaniedade de quem não sabe o que é o amor e viver em liberdade. liberdade de escolha, de fazer as suas próprias opções de caminhar contra tudo e todos e no fim do caminho encontrar o bem estar que tem direito

homens apoiados pelas suas mulheres, submissas e ensinadas a obedecer crentes e fanáticos ...
governantes a tirar a liberdade a milhares de outros também submissos e aprisionados em preconceitos . a sociedade tem um código de etiquetagem para utilizar sempre que qualquer ovelha sai do rebanho, fica então a ser a ovelha negra aquela que não tem pastor e outras etiquetas bravamente conquistadas .
a rebeldia é sempre mal vista e tem que ser reprimida

(chego a um ponto em que é preciso descansar. acender uma fogueira e montar acampamento, creio que os meus dias de guerreira estão no fim acabaram !! mas será que é o cansaço de batalhar ou é mesmo depor as armas e desistir de lutar?)

faz muito tempo li cervantes e o dom quixote e sancho pança. não me lembro se admirei se fiquei admirada mas, lutar contra moinhos pode ser algo sem muito sentido mas também pode fazer todo o sentido, pois existem moinhos de todos os tipos por todo o lado para enfrentar dia a dia constantemente

existem demasiadas pessoas que desistem da luta .
mas onde é que eu estou ???
as palavras estão indo aonde? com que intenção ? onde onde
talvez a pergunta seja de onde vêm por acaso passei por aqui e fiquei aqui gravada.

a força vence sempre !!
e de fracos não reza a história e a história é sempre a vitória dos fortes contra os fracos os oprimidos ...

os fracos ... são deles o sangue que escorre nos campos de batalha são deles os membros decepados e olhares alucinados .

são os fracos que fazem as batalhas que lutam as lutas dos outros .
é deles o medo e o terror que explode na noite da ignorância é deles que não falam e os gritos que calam .
é deles o sucesso dos fortes eles que sangram e se derrotam e vagueiam pela cidade com fome e desespero nas mãos . é deles os palácios que constroem para os outros .
é deles os navios que partem para conquistar outros lugares e outros povos...
é deles o anonimato

as trevas vão conquistando tudo
e em redor sente-se o cheiro a suor que o medo tem

fiquemos por aqui agora ...

ENerGia (2)

organizar é preciso
arrumar as ideias e os papeis á solta na mala nas papeleiras pelos cantos pela sala 
arrumar as coisas á solta pela casa e arrumar. arrumar ... e cada vez que se pensa na dessarrumação o estado espirito pressionado fica em estado de alerta e recusa-se a dirigir-se á saida . não é uma questão de arquivo e de trabalho é quase uma recusa em fazer determinada tarefa e a pressão para que se faça anula o esforço, levantar de manhã pensar no dia nas tarefas em estado pendente . 

a energia vaporiza-se esfuma-se 

a minha determinação deve voltar-se para que lado concluir tarefas acabar tarefas e a vontade onde é que está, se estou relutante em 80 por cento os 20 ficam em aberto posso fazer esta e aquela tarefa que me sinto melhor em fazer mas e as outras ? se estou e sou responsável por elas ? e parece-me que nesta fase as tarefas que não acabei são mais que muitas e o meu espirito ressente-se estou demasiado voltada para esta questão que não é problema ainda ...

talvez aceitar que é assim mesmo ... aceitar que este tipo de tarefas está nas minhas mãos e que está em meu poder a resolução a sua conclusão e só assim estarei mais liberta para avançar para outro nível 

pode ser por aí a questão da energia que se esvai ... 

resultados eu quero ver resultados !!! e não vejo nada resolvido . 
Assim é o meu pensamento

deverei colocar aí os meus esforços ? deverá ser um esforço ? porquê esforço ? deveria ser natural ...
questões que não levam a lado nenhum . 

creio que o estado das coisas pode modificar-se .
também creio que o meu pensamento e as expectativas não devem ocupar-se com tanta ninharia pois deveria estar voltado para outras questões será que deveria será que poderia enfim ... 

alguma saída se há-de encontrar

Luz luzes acção ... . 

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

ENerGia

hoje ...
estou a precisar de energia .
cada dia que passa parece ser algo que preciso regularmente .
que alimento preciso eu de ingerir para ter energia .

e não é coisa que vá buscar a outrém, mas ...
que fonte procurar . que elixir que poção mágica

que pena não ter uma receita que possa revelar e utilizar quando esta quebra acontece
mas seria bastante util encontrar uma ...

ainda é de manhã e mal começou o dia e já estou exausta ...
vai ser um longo dia ....

arghhh

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

caminhos ... (11)

tempos ...

o decorrer do dia a dia leva-nos por paragens avanços recuos
apetece-me estar sossegadinha junto da minha lareira (se tivesse) numa casa que a tivesse !! em vez do apartamento no quarto andar onde moro e vejo o mar (o rio Tejo) por entre as frestas dos altos prédios que se encontram em frente da minha vista !!

Preciso de ver o mar em toda a sua plenitude como se fosse gaivota e pudesse fazer voos planados e pairar numa brisa ou .

caminhar no deserto ... caminhar por entre caminhos estreitos que levam à montanha
chegar a uma clareira na floresta e acender uma fogueira ...

o inverno ainda não chegou . o outono ainda por aqui está ... do verão apenas uma memória da primavera nem vê-la . cheirá-la, senti-la...

o vento traz nostalgia no seu sopro

quando uma ideia de ser a pessoa melhor do mundo, fazer feitos magnificos, heroicos, sei lá qualquer coisa para estar satisfeita com o ego que aparentemente vive dessas coisas espectaculares, estranhamente não faço nada. nada de salvar o mundo nada de transformar nada e ninguém a minha vida não tem lições para ensinar apenas ainda a aprender mais concretamente a viver uma vida anonima sem nada para dizer aos outros, estranhamente calada . ah sim o meu exemplo não vai ajudar ninguém ...

onde fui buscar esta ideia de ser uma super mulher . já a vida diária custa enfrentar, a vida familiar filhas e marido o trabalho profissional o trabalho em casa conseguir conciliar tudo domesticamente,  tenho eu para cuidar também e um monte de tarefas .

onde tenho tempo para ser a super magnifica ?? creio que ser comum não faz mal nenhum . fará? serei comum como milhares de seres comuns e no entanto sou perfeitamente imperfeita e única .

o vento por vezes enche-nos os ouvidos com ideias extravagantes .
Posso muito bem ser quem sou e como sou  porque sou assim e serei sempre assim .
a luz que me anima o espirito é que pode não transformar o mundo, mas então eu que pegue nisso e consiga trazer para a minha vida a transformação e a mudança

que assim seja ...

ritmos

será possivel que a escrita apareça conforme estamos sentados, onde estamos sentados ... dependerá de algum factor a musa se sinta em condições de aparecer . a vontade de escrever o que escrever assuntos a exrita correrá assim conforme a sua vontade ...

a folha em branco pode ser factor de um não escrever se acontecer o sindroma da página em branco . bom isso não me acontece apenas fico a olhar para a folha e suspiro 
as palavras não querem sair como friorentas e ...

e é como dançar ... gostamos de dançar assumimos a coragem de mostrar a nós mesmas que podemos dançar temos ritmo e que a idade não conta . correr riscos não ficar para trás escondida e atrapalhar o espirito a alma o decorrer do que sinto e vou alcançando ..

que podemos fazer tudo o que queremos.

ainda penso e estou fazendo um esforço ... embora não deva acontecer assim com esforço mas acontecer porque sim. mas porque não tentar fugir a condicionalismos e ás expectativas elevadas e deixar que as coisas aconteçam porque têm de acontecer naturalmente .

mas o pensamento acondiciona limita a mente
bom não é novo este sentimento, mas estou tratando de alterar o curso dos meus sentimentos das emoções e até um pouco abrir espaço para que coisas que antes não estava a deixar entrar quer por medo quer porque não ...

quem sabe se esta é que é a altura certa para as coisas acontecerem, o percurso feito até aqui pode ser que tenha a ver com o rumo que estou a dar á vida . à minha naturalmente.

quem sabe se alterando a forma possa ver melhor o que está no interior .

a forma de escrever parece igual cheia de reticências e apesar de as ter gravado porque também acontece os saltos e ressaltos aparecem continua e descontinua assim sendo, as virgulas de vez em quando aparecem .

terça-feira, 2 de novembro de 2010

café ..

o café é uma bebida maravilhosa, posso beber litros dele ... 
mas e se juntar chocolate, como fica ?

sol e ...

Por vezes a estrada parece fácil, energia positiva, vontade de escalar uma montanha, ultrapassar abismos e algo que se esforça para atravessar mares .

sol nascente ...

sol nasce e aquece tudo ...
o deserto é manifestamente dunas e mais dunas e miragens de oasis e jardins proibidos ... harens e palmeiras e bazares onde se pode comprar tapetes voadores para rumar ao horizonte estender a mao e pegar na lua e ir encontrar a estrela mais brilhante ...

imaginação voa e no limiar da esfinge ela toma vida e coloca o seu enigma ...

quimeras e grifos e a magia .. um dragão
um limbo ...

acorda-se e ... não se sabe a resposta para encontrar a entrada ou a saida ou ...

para voltar tornou-se quase impossivel

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

caminhar ...

todos os caminhos vão dar a um só caminho ...
caminho caminho caminho e de vez em quando chego a algum lugar,
a um lugar qualquer perdido no tempo . parece que o caminho e eu somos um só .
não me lembro de quando e se me perdi, e se estou perdida quando chegar a algum lado logo vejo onde estou
e só aí vejo se me posso encontrar
pois cada caminho é um caminho único . cada um tem o seu .
até chegar a algum lado pode muito bem ser depressa devagar
interessante e entediante aborrecido e deprimente e esta escrita não tem importancia nenhuma e eu não estou a conseguir escrever coisa com coisa e estou completamente sem nada que dizer e falar de caminhos e caminhantes não diz absolutamente nada ...
caminhantes e caminhos ...

bom de vez em quando tenho assunto e hoje não tenho é um lugar comum o caminho está a escurecer e é completamente noite e nada que dizer da noite !! será que há lua será que não há estrelas e olhar pela janela pode ajudar a ver alguma luz ...
lanternas candeias e luz fluorescente lampadas e candeeiros ...
as janelas dos vizinhos quadradinhos acesos prédios e mais prédios ruas cheias de carros automóveis e outros quatro rodas passeios completamente atafulhados de viaturas passeios lavados pelas aguas da chuva e
... jantar ...
caminhos ladeados de arvores no final um vale encantado

sábado, 30 de outubro de 2010

a chuva cai ...

ventos e tempestades chuva ..
inverno ainda não chegou e a cidade é inundada pelas aguas da chuva que caiu.
os vidros das janelas têm ainda as gotinhas de água e o vento sopra e assobia por entre as frestas .
lá fora o tempo e o clima convidam-nos a ficar quentinhos em casa enroladas nas mantas e á lareira se houvesse uma.
apartamentos antigos são desconfortáveis . alguns que não foram construidos para climas em transição .
são climatizados. ou se faz frio está frio em casa se está calor é quente em casa assim climatizados.
mas temos casa que nos abriga . a preocupação acontece sempre que nos vimos perante a constatação que somos demasiado pequenos quando a natureza se descontrola e se revolta e é como as nossas emoções, sentimentos vamos conseguindo controlar até que ... a nossa natureza sai das sombras e olhamos e vimos o que não somos e somos outra coisa e não aquilo que queremos ser e parecer .

a natureza luta connosco seres humanos que queremos tudo .
a chuva cai ...

não pensamos nos outros ou se pensamos apenas naqueles que fazem parte do nosso pequeno universo, aqueles que nos rodeiam vêm de todos os lados estão em todos os lados e aqueles que não vimos que não sentimos vivem de maneiras várias, pensar que os outros estão desconfortáveis que não têm casa que não têm o que comer. que a sua vida é palmilhar quilometros de passeios e de cidade cartões e garrafas de cartão para aquecer a alma e esquecer e de tanto esquecer esquecem aquilo que são.
e ninguém vê quer ver o incomodo que são ... nunca pensei nisto nos milhares de seres que passam por nós e que são estranhos e desconhecidos
não gostamos que atrapalhem a nossa vida não gostamos de sentir perto e por que ruas andarão quando os elementos se debatem ? como se aquecem ? o que comerão ? o que vestem o que fazem para percorrer os dias ?

esquecer o conforto e a comodidade é dificil traz-nos ansiedade . ter ou não trabalho . electricidade água a sair da torneira . escolher esta ou aquela forma de comer comida . pensar em animais de estimação .
ter o coração suficientemente aberto ou ser mesquinho e avarento . posso dar isto e aquilo

chove ... e eu posso dar-me ao luxo de pensar que pensar nos outros é uma coisa boa e pensar já me dá uma certa satisfação pois chove e tenho onde me abrigar e pode chover trovejar e também pensar na possibilidade ou não de a agua entrar e o meu mundo desabar ...
mas os medos são medos e se a minha casa e o mundo desabar eu posso sobreviver não serei a primeira mulher do mundo a ultrapassar dificuldades o meu medo é que engrandece as dificuldades

chove chuva

abismos

um abismo é sempre um abismo e pode-se muito bem ter vertigens e  ficar completamente atordoado . mesmo assim depois é preciso ter coragem para chegar perto da borda ...
abismos são para abismar .. e outras coisas.
estar perto do fim do mundo. e de sentir que afinal temos alguém para enfrentar e que o abismo somos nós próprios e temos que nos enfrentar e ao ir de encontro ao nada ser simplesmente.

aquilo que somos vamos construindo e mesmo assim metade já vem feito. a mãe natureza vai ajudando e equilibrando os nossos ciclos a lua, as marés o fluxo e refluxo das ondas

abismo e dar conta que afinal contamos . por alguma e qualquer razão estamos aqui e sendo unicos a razão por que estou aqui é que de uma semente que encontrou o ovulo a que trazia a minha essencia foi a mais forte e qualquer razão germinou e cresceu e na altura certa deu flor

nesta altura da vida ainda o outono não chegou apesar de ser outono (a estação) eu ainda não cheguei aí . o outtono da vida terá a sua maravilhosa beleza na devida altura . já ultrapassei a primavera faz muito tempo. o verão ainda dura quase a  chegar ao fim . teve dias maravilhosos e quentes e abafados e choveu também trovejou e fez relâmpagos ...

abismos para pensar e, se houver do outro lado um lado e esse lado ter um vale encantado e transformar o vazio numa bela ponte e o que somos o nosso ser interior. e o ser que queremos ser
que é um passo a dar ...

abismos ... rochas avalanches árvores o mar tudo o que o meu olhar abarcar
vales planicies as montanhas rochosas caminhar o vazio e o nada nuvens a bruma
não avalon mas poderia ser ... morgana

mas não é a altura própria

abismo só por si nada é ! tem a capacidade de mostrar aquilo que somos temos ou conseguimos .

nada de garrafa apenas o infinito ... a mensagem virá noutra onda

ainda o abismo .. pode ter algo a dar ... se gritar ele grita ecoa
deitando uma pedra ela pode embater e fazer ressoar em todos os cantos da alma
pode se transformar

abismos para abismar e outras coisas

enfrentar os nossos medos, as nossas dificuldades, a nossa vida é um passo sempre na direcção do abismo, da incerteza e da indecisão, enfrentamos todos os dias a desilusão a ilusão expectativas perspectivas sons luzes cores competição amor e desamores raiva agressividade desigualdade miséria e riqueza luz e escuridão
fantasmas

no abismo dar um passo em frente ou parar ...  e onde estão as asas que me permitem voar ?

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

deusas ...

as mulheres são deusas . os homens não

de todas que li escolhi uma ...
sei que deve manifestar-se sei lá, uma meditação e não escolher por escolher .
Hecate combina mas literalmente ? não sei
Aparentemente parece que já temos deuses, por causa da data em que nascemos mas, será que funciona assim ? e os deuses dão-se a conhecer ao crente ? deve se ser crente no deus ou deuses . creio que deve haver alguns, um unico, parece-me demasiado trabalho para um unico deus e deve haver mais do que um !
e segundo parece, também os deuses funcionam por causa das qualidades que o ser humano lhe dá! o deus deve dar essencialmente amor . mas alguns não, têm colera. ira. inveja. crueldade e outros sentimentos bons e maus .

acreditar assim fica complicado e, para ter fé precisa de haver uma relação de confiança entre essa entidade e o humano .. uma interacção, porque exige-se do deus estar sempre presente, e ... ajudar. ajudar sempre e rodear-nos de qualquer coisa, um sentimento acolhedor de compaixao, amor, aceitação . o ser humano reza por isto, e por aquilo, e acontece .. a maior parte das vezes não acontece, mas pronto, não era para acontecer e ...

deuses , creio que, o homem inventou algo assim para sentir que não está só no universo e, para acreditar é mais qualquer coisa, do que aquilo que é . aparte isso o mundo fica um pouco melhor ...

cada um tem a sua crença acredita, ou não, o seu coração sente e a mente fica menos preocupada e isolada,
acreditar faz bem !

mas, isso sou eu a divagar ... começo a divagar e, vou pelos caminhos que vou . as pedras por vezes fazem-nos tropeçar, acreditar ou não, não é a questão, nem é fundamental, a vida que levo. sou eu que tenho que levar e carrego aquilo que quero levar comigo, agora, não sou obrigada a levar aquilo que não quero e não obrigo ninguém a levar a minha carga ... e quando estou esbaforida, exausta e, por vezes desaurida ... prestes a desistir, existe uma força que me anima . não sei se, minha alma vai buscar forças, coragem a algum lado. e de repente, não mais que de repente, encontro uma luzinha, uma vaga energia e, continuo ...
pode ser uma pedra luzente ...

luzes na noite

à noite o sol já está noutro lado.
a terra onde a noite mora já esqueceu o calor do sol
á noite uma infinidade de pequenos sóis brilham dando um bocadinho de luz
para quem passa estar iluminado e ver onde passa ...
do céu os passaros não voam e se voam estão perdidos ...
á noite os passaros estão nos ninhos ...

á noite os medos estão despertos e vamos dormir com a luz acesa
não vão os monstros acordar e vir assombrar o sono
á noite as janelas são quadradinhos de luz, amarelos acesos

à noite a lua brilha dona e senhora dominando o céu
as estrelas têm um nome e brilham também
são pontinhos de luz fazendo do céu um universo por descobrir
á noite tudo dorme ..
à noite ...

entardecer pardacento

o sol ... brilha sol .
o sol tem dias que não vem
tem dias que não o vimos
dias em que o sol brilha mas não no céu que vimos
noutros céus brilha naquele em que estamos não !
a lua cheia é linda e brilha e a noite fica mais bonita
as estrelas mal se vêm quando as luzes da cidade estão acesas ..
quero ver as estrelas, os planetas da minha janela aberta
quero que a minha janela aberta deixe entrar a luz da lua que brilha na noite que vejo
mas isso não é hoje ... que o sol não brilha e a lua não está a brilhar
e a luz pardacenta do entardecer não ilumina escurece

meio doida e estranha aquela que sou ...
espero ainda olhar o céu e ver aquilo que não espero e ver para além do que espero
e se espero o que espero ?? ...

sorrisos enviesados e compreensivos .
pobrezinha como sofre ...
desses não .. compaixão e pena ? não quero
é apenas o lusco fusco que torna tudo pálido amarelento e deprimente
olhar e ver na plenitude ...
o céu a olhar para mim e eu aqui sem notar ..

de lado

a vida tem um lado engraçado divertido e apaixonante,
mesmo que não olhemos para ele com o olhar de quem quer aproveitar os dias e sem a preocupação da vida rotineira e monotona que estamos dando a nós mesmos ele existe, escondido mas, existe
eu olho e o que vejo ? sim o que vejo ? vejo alguém aborrecido entediado e enfastiado e que por causa de qualquer regra que foi imposta ou que imponho a mim propria,  sei lá !
olho e vejo a imagem de alguém que perdeu esse sentido e que estar preocupado é a melhor forma de estar.
serei só eu ?

que lado será o melhor lado ? o preocupado e sério ou o lado divertido ? ou nenhum dos dois ? ou ambos ?
pode haver assim muitos lados dentro de nós e podemos passar o melhor e o pior .

de cada vez que olho para o lado que mais se apresenta fico com dúvidas e olho com mais atenção
e aquele que mais me atrapalha é o que é mais agressivo apesar de ser apenas um instante acontece num apice e no momento a seguir já foi .

que lado .. ou lado nenhum ou todos os lados ? tanto lado que exagero que perda de tempo para olhar para todos os lados e perco todos os lados .

assim ... sendo podemos olhar o lado divertido da vida sem estar livre de culpa ? ou pelo contrário livres e prontos para aceitar o que é bom com o coração

de lado para o lado bom da vida ...

se

... se, encerra tantas indecisões tanta coisa perdida
tanta pergunta sem resposta
tanta coisa e eu sei lá se encontro alguma definição para a palavra que me faz pensar e repensar
decidi bem ou será que não oxalá esteja bem e assim e pronto quem sabe

pode ser que as respostas estejam em mim . pode ser que eu seja desinteressante e nada carismática
que a invisibilidade seja qualidade e que as coisas podiam ser diferentes se os meus passos tivessem encontrado outros caminhos e outras flores podia ter sido diferente podia mas talvez eu fosse outra coisa e não este ser . podia já ter me perdida pela zona das trevas e a escuridão fosse ...
se ... talvez sim talvez não poderia poderia
a indecisão e a incerteza

claro que posso devo alargar os meus horizontes e procurar dentro de mim o que quero verdadeiramente
mas mesmo agora não sei . sei de algumas outras e essas são mais não tenho qualquer ideia .
vou ao sabor do vento .

o caminho faz-se ao andar . e se não sei ando às voltas. se não quero não continuo se quero rodeio. tenho a faculdade de desistir mas aí é porque não quero mesmo.

talvez este ego seja um ego forte fraco talvez devesse estar no meio

se ...
palavrinha dificil ou o sentimento que transmite ou as coisas que estão por detrás

terça-feira, 26 de outubro de 2010

um novo olhar sobre ...

A medida que o tempo passa o que foi verdade um dia no outro a verdade é outra ...
temos esse poder .
Podemos mudar, aprender, ensinar errar e recomeçar tudo e de trilhar novos caminhos.
Olhar o nosso interior e encontrar o lugar certo e escutar o coração, a nossa intuição de mulher
perder o medo enfrentar novos conceitos experimentar novas experiências.
e o mais ridiculo afinal não é tão ridiculo assim pode fazer todo o sentido .
partilhar .

e descobrir que sou uma mulher nada acessivel ... e descobrir tantas coisas . e descobrir que essas outras experiências e casos e acasos e vivencias sou eu . sou feita de tudo isso e de mais qualquer coisa .
ou posso ser outra coisa qualquer se assim o quiser .

e que aqui me encontro ...

um novo olhar uma nova luz assoma lá muito escondida um reencontrar de emoções e sobre mim, a mulher que sou hoje, e não esquecendo a mulher que fui e a mulher que serei . A mulher de hoje olha a vida de uma nova perspectiva .

o tempo ... um breve olhar. um novo encontro reencontrado

caminhos ... (9)

A Lua Cheia

Na rua dos mal-me-queres vivia uma menina que gostava de olhar pela janela o que se passava lá fora...
todos os dias quando chegava da escola fazia os trabalhos de casa e mal os acabava pegava em 2 ou 3 bolachas das suas preferidas com pepitas de chocolate e um copo de leite e ia por-se à sua janela mais mais preferida a que dava para a rua das açucenas.
o senhor carteiro passava todos os dias à mesma hora a colocar um montão de cartas nas caixas do correio dos vizinhos .que noticias viriam naqueles envelopes ? coisas boas ou coisas más ?
um dia a mãe atrasou-se ...
e a menina ficou mais tempo na janela e para passar o tempo pois não estava a passar ninguém interessante. olhou para o céu e viu a Lua muito muito brilhante e a sua imaginação voou ..

lá foi ela aterrar na Lua, e o que estava na Lua perguntamos nós que não sabemos o que a menina encontrou, pois ela fez um segredo muito grande ...
e de repente ...
fechou a janela

Nunca mais ninguém a viu na sua linda janela !!!
e sentiu-se a sua falta, os vizinhos gostavam muito de ver a menina, pois ela alegrava o dia !!

domingo, 24 de outubro de 2010

pensanti ...

estou pensando . não estou pensando .
ontem foi um dia diferente . embora estivesse com o corpo em tensão...
a descontracção ainda se está a fazer a experiência que ontem está fazendo efeito ...

ventos e indecisões

decididamente ando aqui ás voltas e voltas ... vento levante ... teias e caminhos, caminhos e teias, cronicas do vento levante e tenho que chegar a um consenso comigo mesma ... talvez o titulo não tenha importância, a indecisão mata-me. mulher à descoberta de si mesma . luz no caminho . flores e caminhos. contos e estórias e apesar de não ser tão importante assim parece-me que tenho que dar um titulo e os titulos são complicados tenho que me cingir ao titulo

se bem que os ventos trazem coisas boas também trazem tragédias e catastrofes, explosão de cores Vulcão e dragões e dragão e vulcão, rios subterraneos, cores e luzes cometas estrelas e galáxias universos paralelos desertos dunas e mares .
ventos ...
lua cheia e brilhante ...
ventos lunares ...
humm

o deserto e
o vento levante
que se chame assim então

Contadora de histórias ...

Parece que isto é uma coisa que parece ter uma alma própria e à medida que vai surgindo, surge uma vontade inexplicável de escrever alguma história .pois é isso que acontece se somos contadoras de histórias mesmo de histórias breves .
pode-se aprender ? ou já vem connosco quando nascemos ? cresce junto com cada um de nós ? ...
claro que pode parecer inato e que flui com as palavras e espanto-me ao não encontrar razão para continuar a acreditar que nada sei sobre o assunto ...
Posso aprender . posso ter a qualidade em mim e não saber ?
e onde estão as histórias ? onde as vou encontrar ? estarão nalgum lugar escondido onde as possa ir procurar ?
enfim ...
nada de histórias ...
humpf ...

sei lá se tenho histórias e se as sei ou não contar ? naturalmente devo ter histórias para contar embora não me lembre de nenhuma ... e palco ou plateia são completamente enervantes e indiscutivelmente uma fera feroz e com picos nas patas de enfrentar .

poderia aprender as artes de palma ...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

escrevendo ..(2)

dar um titulo a um texto parece ser algo simples. posso mesmo esperar até que todo o texto esteja escrito para o fazer. mas sinceramente ? escrever o quê ? falar do quê ? para quê ?
escrevo para mim ... escrevo aqui ... jogo letras palavras para aqui como de uma folha de papel se tratasse. fica aqui não amontoada mas em fila, aguardando leitura releitura e ir à descoberta de algo
estar a descobrir formas de escrever dar forma maneiras de tratar as palavras criando hábitos regulares
enfim ...

tratando de assumir que realmente gosto de escrever e estou a fazê-lo ...

claro não pretendo escrever um livro, pois parece-me ambicioso demais e a ambição é uma coisa terrível se em demasia e tendo expectativas que depois não se coadunam com a prática . teoria sim, mas a prática é que nos diz se somos realmente bons naquilo que estamos a fazer .

e agora aguardamos saltar ou não o abismo ...
esperemos então .

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

escrevendo ...

escrever ou poetizar ou apenas jogando palavras para o papel para a folha em branco risquinhos riscos e rabiscos desenhos letras conjugadas fazendo sentido, e principalmente descrevendo qualquer coisa ...

por vezes as palavras escritas estão sem sentido ... repetindo palavras e sem nexo algum, falando falando tal e qual gente sem nada mais que fazer ..

de qualquer forma gostaria de ter algum sentido, talvez seja necessário misturar mais as letras jogar fora a vergonha de expor ao papel o que sinto ou o que quero dizer estar vulnerável e estar vulnerável diante de uma folha em branco não tem qualquer senso a não ser que por estar pressionada pela brancura do papel ou folha as palavras se atemorizem, por instantes misturo a vontade de escrever com palavras atordoadas e frágeis que no fim espremidas não deitam qualquer sumo, como se de fruta madura fosse. mas ...  as palavras estão e são sentidas e sei lá no fim da explosão de tinta ficam completamente esquecidas e amontoadas no baú.

palavras que ficam esquecidas para sempre pois já fizeram a sua função .. como se de futuro e no passado ou mesmo agora que é presente sejam da máxima importância. agora fazem sentido, fazem derramar rios de lágrimas e emoções, depois de escritas e relidas podem juntar-se a milhares de outras páginas já esquecidas pois a sua missão já foi cumprida e recompensada. e de lágrimas vertidas os borrões de tinta espalham-se pelas folhas de papel criando esferas e bolas e . apagando o que se escreveu de forma tão emocionada ...
mas que cumpriram a sua missão e foram avassaladoras na sua confissão.

acordo de uma abstracção ... corro atras de uma ideia mas já se desvaneceu

caminhos ... (8)


chegando aqui ... olho em volto e recomeço a andar ...
dá vontade de espalhar as folhas caídas pelo chão ..
e pegar na mais linda e seguir ...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

a imagem (1)

creio que a vida tem uma missão .. aquela que nós mesmas impomos a nós mesmas .
a nossa missão é viver sobreviver ...
ser criança adolescente rapariga ser mulher ser amante ser mãe procurar o amor encontrar o amor chorar o amor, viver aprender e ser melhor , trabalhar ter uma actividade ter filhos , ter um lar ser independente , pensar por nós próprias

e ser outras coisas também, existe em cima de qualquer mulher a perfeição exige-se estar sempre pronta fazer o que quer que seja , com boa disposição e alegria, nada de tristeza e má cara . porque ser antipática é péssimo para a nossa imagem pois o que está a dar é sermos simpáticas e com um sorriso perfeito no rosto.
ter um rosto ter um corpo perfeito andar sempre bem vestida, boa aparência ... enfim exigências de uma vida moderna e urbana e ser boa cozinheira uma optima empregada uma optima mãe uma boa enfermeira

enfim boa em tudo . e quando temos que ser boas em tudo existe sempre uma coisa que vai ficar para trás inevitavelmente

inevitavelmente as coisas vão começar a dar para o torto se não pararmos um bocadinho e tratar que esta perfeição seja um pouquinho menos perfeita ou mesmo um pouquinho imperfeita

Parar de querer ser perfeita parece-me bem!!! até porque os pensamentos tomam novos caminhos ...
alguns menos bons ou até maus . olhar para o espelho e estamos a pensar encontrar a rapariga que imaginamos que somos e encontramos uma imagem de aparência estranha e neste olhar questionamo-nos, quem é ? aquela sou eu ? sou mesma aquela ? que imagem está refletida no espelho ?
 a imagem que se perdeu algures lá atrás de quem fomos de quem somos agora de quem queremos ser

o espelho não sabe a resposta . é preciso encontrar a mulher que somos ! a imperfeita !!

a alma (3) ...

será que é possivel a nossa alma ser antiquiquissima ? termos vivido outras vidas ? será que termos a sensação do "dejá vu" é mesmo por termos vivido outra vida ? será , porque quando existe a sensação de já termos vivido uma situação tal e qual (como duas gotas de água) não será a nossa mente a pregar-nos partidas ? ter vivido outras vidas parece tão tão fora do comum tal e qual, como é que era mulher homem ou outra coisa qualquer
.. isto parece que não está a sair como deve ser ...
acreditar que já vivi outras vidas não me parece dificil . não duvido, o que duvido é que se vivi outras vidas já deveria ter mais sabedoria ou conhecimento e deveria neste momento estar a prestar atenção a alguma coisa muito mais importante . ou de me ocupar em algo que me fizesse crescer interiormente e não ainda me preocupar se estou ou não irritada deveria mesmo saber controlar a mente a raiva a agressividade, mas há muito que as batalhas contra mim mesma são pequenas escaramuças e que nem sempre ganho.
ganha-se por outro lado a consciência do momento .. aqui eu estou com raiva mas é mais um desabafo e depois pronto passou.
lembro-me que com a minha avó era assim ...
ao longo dos anos vou fazendo as pazes com o passado . vou liquidando as contas que tenho comigo mesma e já faz muita diferença ... o passado é apenas passado e como passado que é ficou lá atrás ...
por vezes existem pedacinhos que vem ter comigo mas não resolvendo as coisas no momento começo a acreditar que é possivel .
por isso vidas passadas ... devem ficar lá atrás ... se fosse para nos lembrar . nós vinhamos já com memórias e se as trazemos só precisamos de um pequeno grande silêncio e meditação ...
posso pensar de duas maneiras ?
posso ... não me traz absolutamente ganho nem perda é um reconhecimento
uma lanterna que se acende e como lanterna que é ilumina .
pode não ser uma grande luz como o sol mas não aquecendo ilumina

a alma (2)




Existe uma alma aventureira que quer partir a aventura ...
e uma alma temerosa que se rende perante o perigo !

existe uma alma que se encolhe de medo e uma alma destemida 
.... guerreira tal como uma valquíria .. amazona
partilham o mesmo espaço o mesmo dia a dia ... 
o sol brilha e aquece a terra .
a poeira levantada debaixo dos cascos do meu cavalo enquanto escoceia na espera da luta ...
e de cabeça erguida invade a clareira ...
o sol vai ardendo enquanto feroz a luta invade os campos e o sangue derramado corre como um rio vermelho.
supõe-se que alguém ganhou ... mas não todos perdem com a batalha ...
a vida, um ente querido, um braço uma perna ... o sentido 
e enquanto existe esta dualidade dentro de meu peito onde fico ?
ardua batalha se transmite pela malhas da armadura e chega a um ponto em que a dor já não doi é apenas sentida ... 


o olhar fixo e perdido no horizonte diz tudo o que sabe !!

caminhos ... (7)

o silêncio ...

o silêncio espreita, o silêncio afasta-se e volta e sai . não cai, não habita, numa vida urbana, num mar de cacofonia, neste caos que a vida tem, é o barulho que impera dono e senhor .

pode vir o silêncio mas sempre pintalgado aqui e ali por estremecimentos e riscos de som, altos e agudos, graves sem gravidade ou contexto

o silêncio acalma ...
o silêncio leva-nos a outras dimensões ...
o silêncio perturba-nos ... e mexe com as nossas emoções, não estamos habituados ao silêncio que a qualquer falta de barulho a nossa mente vai criando coisas para fazer, para não estar quieta e aguardar o que vier.
até que se consiga acalmar a mente e ... seguir com a quietude são duras e complicadas provas de força ou talvez o recolhimento ou o reconhecimento do bem estar ...

e em qualquer tempo o silêncio leva-nos a alterar formas de vivenciar o dia, os tempos sem nada que fazer .

quando o silêncio tem algo a dizer ... grita ...
quando não tem cala-se ...

é por aí que segue o caminho .